:: Edição 503 :: 09/03/2017

Café & prosa com o Presidente reúne novo grupo



Em continuidade ao projeto Café & Prosa com o Presidente, Helder (PR) recebeu, na terça-feira, 7, oito funcionários da Fundação para uma conversa durante um café da manhã especial em sua sala. Os colaboradores convidados foram escolhidos por meio de sorteio eletrônico, sendo dois de cada área da Fachesf (PR, DF, DB E PSS). 
 
O encontro durou cerca de duas horas e todos os funcionários puderam tirar dúvidas e dar sugestões sobre a gestão da Fachesf. O projeto, coordenado pela ACI, é realizado mensalmente com a proposta de manter um espaço de comunicação direta com o presidente, além de promover um intercâmbio de conhecimento e informação entre os funcionários convidados. 
 
"Ninguém resolve um problema com a cabeça de quem criou o problema. É muito saudável ter pessoas com uma visão mais afastada da área, que possam ver o todo com mais distanciamento. Precisamos estar abertos a novas soluções e mudanças. O fato de que algo funcionou de uma determinada forma por muito tempo não significa que tenha que continuar acontecendo do mesmo jeito", disse Helder. 
 
Parte da conversa aconteceu em torno das questões da área de saúde. Ana Claudia (PSS) quis saber se existe uma perspectiva real de divisão da Fundação em duas empresas distintas, uma para área de previdência, outra para a de saúde. "Toda decisão traz suas consequências. É preciso pensar em posições de equilíbrio e encontrar soluções responsáveis. Vamos elaborar um estudo aprofundado para entender os prós e contras de cada alternativa. Independentemente do caminho a ser escolhido, nosso desafio será rever os processos e otimizar os recursos", avaliou Helder.

Empregados comentam participação no evento


Fachesf comemora Dia Internacional da Mulher



Na última quarta-feira, Dia Internacional da Mulher, a Fachesf prestou uma homenagem às suas funcionárias com entrega de rosas vermelhas e uma breve reunião na sala da presidência. Cada área foi representada simbolicamente por colaboradoras sorteadas. A Fundação conta atualmente com 145 empregadas, o que representa 63% do seu quadro funcional. 
 
Durante ao encontro, houve uma breve discussão sobre gênero e o papel da mulher na sociedade, mediada por representantes do Comitê de Gênero Raça e Minorias Sociais. "Pesquisas mostram que a maioria das mulheres ainda ganha menos que homens quando ocupam os mesmos cargos. Precisamos batalhar para mudar o que está por trás disso. Temos de olhar a causa desse efeito", avaliou Helder (PR).
 
"Minha filha tem 14 anos e é a única menina de sua turma na escola que pensa em estudar engenharia", comentou Solange (SGR), ao ouvir a informação de que, na Chesf, a proporção de gênero entre os funcionários é de 80% para homens e 20% para mulheres. "Isso é reflexo de uma cultura muito forte que vem desde a infância. A sociedade incentiva meninos a brincarem construindo e fazendo coisas, enquanto empurra meninas para um universo cor-de-rosa de princesas, panelas e fogões. Temos que discutir essas questões se desejamos mais igualdade entre homens e mulheres", pontuou Laura (ACI), coordenadora do Comitê.

Durante este mês, os monitores do Mais que Notícia da sede e áreas descentralizadas da Fundação estão exibindo um conteúdo especial sobre a data, que também foi registrada na fanpage Realize e no site da Fachesf. Até o fim de março, o Comitê de Gênero Raça e Minorias Sociais promoverá novas ações para debater o tema com os colaboradores.